sexta-feira, 2 de março de 2007

Formação do Relevo Terrestre

Alcione Gonçalves
Diego Fonseca


PROCESSOS ENDOGENÉTICOS NA FORMAÇÃO DO RELEVO

No planeta Terra, as forças exógenas (externas) e endógenas (internas) interagem-se e modelam a superfície do planeta, numa constante busca de equilíbrio.

Grande parte da topografia terrestre é o resultado de processos de diferenciação que produzem a crosta oceânica e a continental respectivamente.

A energia derivada das reações nucleares propicia a formação dos grandes relevos terrestres, através de processos que duram milhões de anos.

A movimentação de matéria do interior para o exterior do planeta e vice-versa, é contínua, e constitui o ciclo das rochas. Os fenômenos internos são: os magmáticos vulcânicos, os plutônicos, os terremotos, os dobramentos, os falhamentos, a orogênese a epirogênese, a deriva continental e a tectônica de placas.

O fluxo de calor interno é a mais importante fonte de energia terrestre, sendo as principais a radioatividade e a conversão de energia gravitacional em térmica.

A maior parte do conhecimento do interior da terra é formado através de estudos geofísicos, principalmente a sismologia, através desta surgiu a idéia da Deriva Continental e a Tectônica de Placas.

>A crosta: tem composição granítica; os oceanos têm composição basáltica - e o manto é composto principalmente por silicatos de ferro e magnésio.
>Fenômenos magmáticos são: aqueles relacionados á gênese, evolução e solidificação do material em fusão do interior da terra, e que dá origem às rochas ígneas, quando se solidifica na crosta, e intrusivas, quando se solidifica na superfície.
>Fenômenos metamórficos: rochas metamórficas são formadas quando rochas ígneas, sedimentares ou mesmo metamórficas - são recristalizadas a altas temperaturas e/ou pressões ou são formadas pela movimentação de placas tectônicas.
>Fenômenos tectônicos são: deformações e movimentações produzidas na litosfera, devido a esforços produzidos sobre o material rochoso. Sendo os mais importantes: a movimentação de placas, o falhamento e o dobramento.
>Orogenia são processos tectônicos intensos pelos quais vastas regiões da crosta são deformadas e elevadas.
>Epirogênese se caracteriza por movimentos verticais lentos de vastas áreas continentais.

Através de datações geocronológicas, em material magmático, constata-se a presença de episódios de intensa deformação crustal e forte atividade metamórfica e ígnea que incorporam um novo material à litosfera. Tais fenômenos são denominados ciclos orogênicos ou geológicos, e caracterizam as faixas móveis. Faixa móvel é uma longa e estreita região crustal que sofreu ou está sofrendo intensa atividade tectônica, com formação de rochas e deformação.

>Deriva continental é a teoria segundo a qual, os continentes se moviam sobre a superfície da Terra.
>Tectônica de placas é a teoria em que a litosfera flutua sobre a astenosfera. A litosfera é segmentada por fraturas, formando sete grandes placas e algumas outras menores, que deslizam horizontalmente arrastando os continentes por cima da astenosfera.

Principais limites de placas:

>Construtiva ou divergente: quando duas placas têm movimento em sentido contrário.
>Destrutiva ou convergente: quando duas placas movimentam mutuamente uma em sentido à outra.
>Colisional ou sutura: são também regiões de convergência, porém, sem consumo de placas.
>Conservativa: o movimento relativo da placa é horizontal e paralelo ao seu limite.
>Margens continentais: são regiões onde a crosta continental encontra a crosta oceânica.
>Margem continental passiva: é caracterizada por uma firme conexão entre a crosta oceânica e a continental. Pequena atividade tectônica ocorre nos limites entre os dois pontos.
>Margem continental ativa: é caracterizada pela presença de uma subducção, onde uma placa oceânica colide com uma placa continental.

TECTÔNICA GLOBAL E AS PRINCIPAIS FORMAS DO RELEVO TERRESTRE

A Deriva Continental foi inicialmente defendida por Alfred Wegner. Teoria segundo a qual, os continentes se moviam sobre a superfície terrestre.

Essa teoria é um modelo para a Terra em que a litosfera rígida e fria “flutua” sobre uma atmosfera plástica e quente. A litosfera é segmentada por fraturas, formando um mosaico com grandes placas e algumas outras menores, que deslizam horizontalmente, arrastando os continentes por cima da astenosfera.

A teoria da Deriva Continental é idêntica a da Tectônica de Placas, pela qual, as fraturas são as placas tectônicas, e a atmosfera plástica e quente é o magma, local onde as placas tectônicas se movimentam.

As margens continentais são caracterizadas em ativas e passivas. A passiva é caracterizada por uma firme conexão entre a crosta oceânica e a continental. Pequena atividade tectônica ocorre nos limites entre os dois tipos de crosta, e sismos suaves são percebidos. Já a margem continental ativa é caracterizada pela presença de uma subducção, onde uma placa oceânica colide com uma placa continental, mergulhando sob a mesma. Nessas regiões, encontramos uma estreita depressão do assoalho oceânico, denominada “fossa”, ausência de plataforma continental bem estendida, como na margem passiva, e forte atividade tectônica, caracterizada por intensa sismicidade, com formação de montanhas e metamorfismo.

Grande parte da atividade tectônica terrestre ocorre no limite de placas litosféricas, em contraste com o interior delas, normalmente inativo tectonicamente.

Atividade Ígnea - Embora 90% do volume da crosta sejam constituídos por rochas ígneas e metamórficas, os sedimentos e as rochas sedimentares recobrem cerca de 66% da superfície dos continentes. Entretanto, mesmo nessas áreas, em grande parte cobertas por fina película sedimentar, as estruturas existentes no embasamento subjacente se refletem na cobertura, controlando em maior ou menor grau a modelagem da superfície.

Os principais tipos de Erupção são: havaiana ou lagos de lava; estromboliana , vulcaniana, pliniana e linear.


As principais formas do vulcão são: escudo vulcânico, estrato-vulcânico, cone de piroclática e as caldeiras. Essas formas são altamente susceptíveis aos agentes externos.

A movimentação das placas tectônicas pode produzir falhas, que são fissuras na rocha, promovidas pelos abalos sísmicos. O falhamento pode produzir morros alinhados, corredeiras, cachoeiras, lagos, vales encaixados, vales suspensos, formação de fontes alinhadas, drenagens superimpostas e capturas.

As dobras são formadas no interior da crosta terrestre, onde a temperatura e pressão promovem a plasticidade da rocha.

O Metamorfismo é um fenômeno plutônico que através da temperatura e pressão, além dos agentes químicos, faz rocha ser modificada no interior da crosta, o que com o tempo pode levar ao afloramento dessa rocha.

Neste texto o tema central da argumentação foi a exposição dos principais agentes formadoras do relevo, os internos e os transformadores, internos e externos.

Narrou como as formas de relevo e o assoalho composto pela litosfera é gerado e moldado, até chegar nas formas encontradas hodiernamente.

REFERÊNCIAS:

CHISTOFOLETT, Antônio. Geomorfologia, São Paulo, Edgard Blücher, 2ª edição, 1980.
PENTEADO, Margarida Maria. Fundamentos de Geomorfologia. Rio de Janeiro: IBGE, 3ª edição, 1980.

12 comentários:

Telma Piccirillo disse...

Diego, adorei este texto sobre a formação do relevo terreste, primeiro porque estes fenomenos são extremamentes interessantes, e também porque são pocuos os blogs dedicados à assuntos geológicos, geomorfológicos e geográficos.

Amanda disse...

Diego, sua explicações sobre essas incríveis formas geológicas, me ajudou bastante, a entender. Obrigada!

juliana disse...

Diego adorei esse texto mi ajudou bastante
xerão

Leticia disse...

Diego adorei...muito obrigada
me ajudou muito no trabalho . bjos

dia das mulher disse...

o pia valeu ajudo bem na minha pesguisa

Semíramis disse...

Diego, seu texto é ótimo, te agradeço muitíssimo, pois minhas aulas terão um conteúdo muito mais rico. Se todos fossem esforçados como vç, com certeza nosso mundo seria um lugar bem melhor para se viver.

Rafaela disse...

Diego brigado , vc me ajudou no meu trabalho beeijos ;*

angelica disse...

diego sua explicações são ícriveis.

angelica disse...

diego sua explicações são ícriveis.

angelica disse...

diego sua explicações são ícriveis.

Larissa disse...

não tem nada a ver..

suliane disse...
Este comentário foi removido pelo autor.